-  23   Comentários

Eduardo Rossi

Ao identificar uma possível fusão com o Grupo Carrefour como uma oportunidade espetacular para a empresa da qual é sócio, o empresário Abilio Diniz, presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar, cumpriu com o dever fiduciário de tentar trazê-la para a deliberação dos acionistas da sua companhia. E é exatamente isso o que fez. Abilio não fechou um negócio.Abriu um canal para que a proposta pudesse ser apresentada aos acionistas do Grupo Pão de Açúcar.Tudo o que foi apresentado até o momento foi apenas uma proposta. Ela deve seguir os trâmites normais de aprovação pelos conselhos relevantes e pelos acionistas da empresa. Todas as partes terão o tempo necessário para que estudem a proposta, formem suas opiniões e, posteriormente, decidam. A polêmica em torno dessa proposta não é justificada. Foi criada uma polarização entre os interesses do Grupo Casino e os de Abilio Diniz que não deveria existir à luz do que está sendo discutido. O potencial negócio deve ser visto pelo prisma de todos os acionistas e da companhia. Isso é o que interessa. Afinal, os dirigentes de uma empresa estão lá para representá-los, não para defender seus interesses pessoais. Abilio pensou com a cabeça de todos os acionistas ao facilitar a apresentação dessa proposta. Não levou em consideração os direitos pessoais que perderá caso o negócio seja aprovado por todos os envolvidos. É claro que o balanço final seria muito positivo para Abilio. Ele perderia direitos pessoais, mas ganharia muito mais como acionista da empresa. O acordo de acionistas firmado entre Abilio e Casino, mesmo após 2012, garante a ele alguns direitos vitalícios: continuar acionista enquanto tiver saúde e a empresa mantiver um bom desempenho. Ele também tem direito vitalício de ser o presidente do conselho de administração; três assentos garantidos no conselho; o direito de escolher o diretor-presidente da empresa a partir de uma lista tríplice, além de poder demiti-lo; tem direitos de veto importantes sobre reestruturações e política de dividendos, entre outras matérias. Abilio perderá todos esses direitos caso a proposta seja aprovada. Inclusive a garantia de ser presidente do conselho. Caso os acionistas, no futuro, avaliem que ele não está fazendo um bom trabalho, podem simplesmente votar em outro. Por que, então, Abilio abriria mão de todos esses direitos? O que ele ganha em troca?A resposta é simples: ganha tudo o que todos os outros acionistas também ganham. Uma empresa muito mais eficiente e lucrativa, que terá condição de praticar preços ainda mais competitivos para seus consumidores e, assim, continuar a crescer e a gerar empregos. Diante dessas vantagens para a empresa e para o país, Abilio não hesitou em abrir mão de direitos pessoais ao defender a proposta.Ele ganhará muito mais com os lucros da empresa, sem contar com a satisfação de ver um grupo com gestão brasileira ser uma das grandes potências mundiais do varejo.

EDUARDO ROSSI é formado em administração de empresas pela FGV, mestre pela Universidade Columbia (EUA), é consultor da Península Participações, empresa da família de Abilio Diniz que detém, junto com o sócio Casino, o controle do Pão de Açúcar por intermédio da holding Wilkes.

23 Comentários
  • Abilio Pereira Neto

    6 de julho de 2011 às 10:54

    Ao ler essa matéria fico muito feliz, por uma causa talvez não nobre. O que sempre vemos no nosso Brasil é a ganância de poder, de ter e não do ser, do conquistar, do fazer parte. Parabéns Abílio Diniz pelo seu Ato. É por isso que hoje vc tem o que tem. Abílio é Abilio (Modestia da minha parte).

  • Luciano

    6 de julho de 2011 às 11:05

    Coitadinho do Abílio… tão altruísta e incompreendido… para onde posso mandar uma doação, para que ele não passe fome?

  • Anne Moraes

    6 de julho de 2011 às 12:12

    Abílio Diniz é empreendedor, um visionário coisa de poucos empresários no Brasil, infelizmente, esta sendo crucificado por defender seus ideais e princípios que é sempre crescer e se superar, é obvio que existe uma legião de pessoas medíocres que nem se tentassem conseguiria um feito de Abílio.

  • 6 de julho de 2011 às 12:26

    Pois é Abílio, como vc tem altruísmo para deliberar a favor desta proposta, assim o tem tb o grupo Casino com o qual você concordou em trazer ao CBD há mais de 10 anos atrás. O Casino tem direito de assumir o CBD no ano que vem, por contrato assinado entre as partes. Ele tem que dizer se isto é bom!

  • Anne Moraes

    6 de julho de 2011 às 12:32

    Acabei de ler uma reportagem de um dos sócios do Pão de Açúcar, que tentou contracenar uma imagem de empresário equilibrado e sensato, é visível a falta de visão dessa empresa Casino, como não consegue enxergar os beneficios dessa fusão, onde esta a logica e o raciocínio desse empreendedor.

  • Rodrigo Peres

    6 de julho de 2011 às 13:22

    Por que uma participação tão grande do BNDS neste negócio?, um outro ponto que no primeiro momento acredito não haverá é a geração de empregos, na verdade acredito até em demissões, quanto do lucro desse no novo grupo sairá do país? esses pontos não estão muito claros e transparentes.

  • Kristina Luz

    6 de julho de 2011 às 14:04

    Fantastico esse artigo, limpo e claro, dizendo o que e pra ser dito e pronto…chega de polemica…

  • paulo roberto

    6 de julho de 2011 às 23:21

    por este simples motivo que o Abilio e um ser iluminado, so o Casino que ainda nao conseguiu enxergar este fantastico negocio que o Gpa esta fazendo, vai ser muito bom para o Brasil e para todos do GPA, parabens Abilio, e fica a minha torcida para que tudo corra bem.

  • lincoln herald

    7 de julho de 2011 às 14:08

    A atitude de um “Homem” é o que o separam dos garatos. Boa luta na nova empreitadaSr. Diniz.

  • Benedito Vieira Fagundes

    8 de julho de 2011 às 12:43

    Coragem meus irmãos! Isso se chama coragem, q muitos empresários mais novos, não sabem o que significa e ficam como, espectadores no cimento frio de uma arquibancaba, e não conhecem nem vitória e nem derrota.Parabéns Abilio vai em frente,alguém tem que mexer o doce se não ele queima.

  • Gustavo Nogueira

    10 de julho de 2011 às 22:20

    Parabens Eduardo rossi… reintero minha opiniao de Admirador incondicional da postura empresaria de Abilio Diniz e sei que nao so o grupo GPA vai ser beneficiado com a fusao e sim os consumidores brasileiros no geral … sucesso a todos os envolvidos no processo de fusao..!!!

  • Eduardo Nunes

    11 de julho de 2011 às 11:04

    Sr. Abilio depois de muitos anos o Brasil comecou a ser notado pelos países desenvolvidos como uma potência,mas essa potência se deve a pessoas como o Sr. que buscam melhorar o país e não só investir lá fora.Sr. Abilio por todos nós nunca saia do grupo e compre tudo oque der(empresas)não desista.abs

  • 11 de julho de 2011 às 11:26

    Abílo tem a cara do novo Brasil, agressivo e direto naquilo que quer. A verdade é que países que fream o desenvolvimento, evitando a criação de megaempresas, estão em desvantagem no mercadoglobal. Quando a alguns anos atrás alguém sonharia em comprar o Carrefour ou outras empresas iguais ou maiores

  • Ary Eduardo

    11 de julho de 2011 às 19:46

    Grandes projetos exigem grande capacidade e grandes homens!Força Abílio, força Enéas, estamos convosco.São nos momentos críticos que os gênios aparecem!Em breve se colherá os frutos de um bom trabalho, a semeadura pode ser árdua e todo esforço será recompensado!

  • French

    13 de julho de 2011 às 08:45

    Primeiro lugar desculpa-me por meu portuges… Eu sou Frances, vou dar uma leitura diferente… O Abilio é um grande Businessman que se formo sozinho, mas essa nova conquista que ele tanta fazer parece mais um ultimo golpe antes de ir embora; As pesoas nao leiam o detalha da proposta mas deveriam..

  • French

    13 de julho de 2011 às 08:49

    Nao tem cabimento invertir no mercado Europeo com poca perspeitiva de crescimento; Nao tem cabimento de invertir dinheiro do povo Brasileiro em conta que tem muitas coisas mas importante para fazer; Os numeros de ganho potencial sao simplemente exagerado, ver factualmente as otras fusao do sector

  • andre costa peixoto

    13 de julho de 2011 às 18:32

    senhor abilio,sou um pai de familia de 33 anos de idade,apesar de nunca ter trabalhado em seu grupo,sou de uma familia simples de são paulo,limpo,,gostaria de expressa minha grande adimiração pela sua pessoa como grande empresario brasileiro na briga com os franceses,um abraço

  • Hugo Penaranda

    19 de julho de 2011 às 19:49

    O problema não está necessariamente no negócio. Está na maneira como os fatos foram conduzidos. No lugar do Casino, eu também teria ficado extremamente desconfiado e irritado. E todas as negativas do Casino foram fundamentadas, baseadas principalmente no acordo firmado com o Abílio.

  • Adilson Oliveira

    27 de julho de 2011 às 11:41

    Esperei muito para comentar esse assunto, queria me interar do que cada uma das partes pensava. Sou consultor em gestão estratégica, convivo com empresários o dia todo e sei das dificuldades pelas quais passam. Nunca o respeito a ética e aos acordos firmados foi tão importante. Acho que isso é tudo!

  • 8 de agosto de 2011 às 17:35

    Qual a diferença de um Gênio e um Louco?R. O sucesso!”Infelizmente poucos homens têm a força natural para honrar o sucesso de um amigo, sem inveja”

  • 28 de setembro de 2011 às 10:49

    O mercado é dinâmico e não pode parar…é necessário sim lançar novos projetos, nunca haverá um ser que possa confirmar na totalidade se um negócio vai resultar ou não, o risco faz parte, a economia Brasileira está em expansão e pode se dar ao luxo de arriscar. Admiro muito o sr. Abilio.

  • diogo luiz da silva alves

    15 de junho de 2012 às 20:49

    Acho o sr Abilio sem duvida nenhuma um dos maiores empreededores que nosso pais já teve e tenho certeza que essa junção traria ótimos olhares para nossa empresa.

  • namorado dê Ariel

    1 de novembro de 2015 às 15:15

    ABI LIO Diniz, por qual motivo existe essa preocupação em conhecer a concorrência por dentro.

    “observe, a % dê números são sempre maiores para quem recebe mais clientes no super mercado.
    (no começo, sempre foi assim)
    Se vc inaugurar 5 super mercado por ano, claros q números vão informar q está a vendo acertou no investimento. por saber como fazer!

    ex: o super mercado extra da conselheiro Aguiar não é concorrente do bom preço da conselheiro Aguiar.
    quero informar q o mesmo é super pequeno é um super mercadinho em comparação ao bom preço da conselheiro Aguiar. & vc nem sequer saber disso…

    bom natal & muitas felicidades, são os meus sinceros votos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

footer logo

Conheça o outro lado do empresário de sucesso. Aqui ele compartilha dicas de empreendedorismo e vida em equilíbrio para você encontrar a sua felicidade.


BUSCAR NO SITE