• pt-br
  • en
  • fr

   -  38   Comentários

Pedi para fazerem uma pesquisa nas redes sociais sobre o negócio de fusão entre Grupo Pão de Açúcar e Carrefour. A repercussão na rede foi negativa para a operação, mas gostaria de agradecer a todos que postaram comentários, críticas e também elogios e palavras de estímulo. Neste momento estou fazendo uma avaliação de tudo, inclusive dos meus erros. Costumo ensinar para meus alunos do Curso de Liderança na FGV, que se tiverem que cometer erros, que sejam só erros novos.    

REFLEXÃO Os erros cometidos por outras pessoas não me dão o direito de cometer os meus.

BNDES / BNDESPAR Esta foi a parte mais criticada da operação. Na crítica, fui colocado como alguém buscando favorecimento governamental a custo do povo. Apesar da aparência, a realidade foi bem outra. Sempre estive muito tranqüilo em relação à operação com o BNDESPAR. Não havia qualquer subsídio, não era empréstimo e sim compra de ações rigorosamente a preço de mercado, com perspectiva de ganhos altíssimos para o Banco. Mesmo antes da saída do BNDES, o dinheiro necessário para uma substituição já estava sendo recomposto por fundos privados; mas nunca conseguimos comunicar isso de forma clara e correta.

CONCENTRAÇÃO De acordo com estudos realizados, a soma das lojas do Grupo Pão de Açúcar com as do Carrefour representa menos de 18% da venda total de alimentos no Brasil. É evidente que em locais onde houvesse superposição, além do CADE nos recomendar a venda para a concorrência de uma das lojas, nós mesmos iríamos considerar não econômica a operação das duas.

O Pão de Açúcar já fez muitas aquisições e estamos acostumados a este processo. Além disso, com a fusão conseguiríamos uma economia enorme nas operações. As sinergias foram avaliadas por consultorias e os números são muito grandes. Como sempre fizemos, estes ganhos seriam repassados aos nossos consumidores. Um exame de nossos balanços e de nossa margem mostra isto com clareza. O perfil das lojas do Grupo Pão de Açúcar e do Carrefour é bem diferente, assim como as linhas de mercadoria. Dessa forma as marcas seriam mantidas e preservadas as identidades das lojas.

DESEMPREGO Praticamente nenhum. Com o ganho de eficiência das duas companhias juntas, teríamos mais capacidade de investimento e crescimento, criando, assim, mais oportunidades e postos de trabalho. 

CASINO / JEAN CHARLES NAOURI Nunca rasguei contrato ou descumpri acordos. Aprendi com meu pai que a palavra era tão importante quanto a assinatura e que tinha de ser honrada. Como fiz em outras ocasiões, busquei oportunidades de crescimento para a Companhia e com uma proposta concreta em mãos queria discutir com Jean-Charles. Continuo com o mesmo objetivo: fazer a Companhia crescer e, com isso, contribuir para o crescimento do país.

Em 2005 vendi ao Casino o controle do GPA por meio de uma opção de compra de uma ação a ser exercida em junho de 2012 Não obstante a transferência do controle acionário, tenho o direito vitalício de permanecer como Presidente do Conselho de Administração, liderando o management na busca do crescimento da Companhia e trabalhando para garantir que os interesses do Grupo Pão de Açúcar e de seus acionistas sempre prevaleçam.

A FUSÃO GPA/CARREFOUR Iniciei minha vida no setor de distribuição em abril de 1959, quando com meu pai abri a Loja 1 aqui na Av. Brigadeiro Luiz Antonio. Não tenho dúvida em afirmar que é um dos negócios mais complexos e mais fascinantes do mundo. Eu o estudei e continuo estudando. Fui discípulo de Marcel Fournier e Jacques Defforey, fundadores do Carrefour. Aprendi muito com eles. Seguidamente promovo na Companhia, com o auxílio de consultorias, workshops, em diversas partes do mundo, para nos mantermos sempre atualizados. É munido desta experiência, destes conhecimentos técnicos que afirmo com convicção que a fusão do GPA com o Carrefour seria um negócio formidável para todos os envolvidos. Para o GPA, para o Carrefour e para todos os acionistas, inclusive o Casino. Não tenho dúvidas de que seria também muito bom para todos os funcionários e para o consumidor brasileiro.

Historicamente, grandes corporações varejistas ajudam muito os governos de seus países no combate à inflação e na melhoria de todo o sistema de distribuição. O ano passado, por exemplo, enquanto a inflação foi de 5,5%, o crescimento de preços dentro dos nossos hipermercados foi de apenas 3,5%. Hoje os grandes competidores do Grupo Pão de Açúcar não são o Carrefour e o Walmart, são os pequenos e tradicionais que representam cerca de 50% da distribuição de alimentos no país. Pelo que se conhece da história, apesar da concentração, a distribuição tradicional continuará a existir e crescer, mantendo sua participação no mercado.

GPA – INTERNACIONALIZAÇÃO O GPA é, hoje, referência mundial em distribuição. Seu maior ativo são as pessoas, sua cultura e seus valores, que são: humildade, determinação e garra, disciplina e equilíbrio emocional. O DNA da família Diniz está difundido pela Companhia. Seu slogan define bem: “Lugar de Gente Feliz”. O impulso à atividade física, alimentação saudável e espiritualidade são muito conhecidos. O Grupo Pão de Açúcar sempre trabalhou muito com as pessoas, team building e a frase escrita nos crachás exemplifica isto: “Nossa gente faz a diferença”. O que o Grupo Pão de Açúcar faz para seus 160 mil colaboradores diretos é considerado um exemplo, dado o tamanho da empresa e a sua base muito larga da pirâmide. Além disso, os conhecimentos técnicos acumulados pelos executivos da companhia são o que há de mais atual no mundo. É por tudo isso que queremos levar nossa técnica, nossos valores, nossa cultura e nosso DNA para outros países. Internacionalizar a gestão brasileira de qualidade, colaborando com outras pessoas, difundir os conhecimentos e a capacidade dos brasileiros de administrar varejo com excelência.

38 Comentários
  • Everton

    22 de julho de 2011 às 22:03

    Acho que o Casino não conseguiu compreender o seu objetivo nesta fusão, por isso não apoiou. Pois até mesmo para nós colaboradores GPA, por vezes ficavamos pensativo quanto ao o objetivo maior. Penso eu como um colaborador GPA, que para os 3! Mas acho que este ainda não é o ponto final.

  • 22 de julho de 2011 às 22:14

    Acredito que a não aceitação por parte da sociedade é conseqüência do envolvimento do BNDES e especulação de concentração da distribuição! Considero estes os principais fatores! Eu mesmo entendi todo o processo como prejudicial aos consumidores brasileiros. É admirável a auto avaliação!!!

  • Charles

    22 de julho de 2011 às 22:20

    Grande espíritos são perturbados por mentes ignorantes! Sua trajetória permite que faça qualquer coisa pois os créditos são muito grandes!

  • Washington

    22 de julho de 2011 às 22:26

    Sua ambição e capacidade o torna um CEO, politico, pessoa publica e ser humano muito respeitado por nós, acreditamos no seu potencial.

  • Luis Henrique

    22 de julho de 2011 às 22:28

    Sr. Abilio, sem conhecer a fundo o tramite das negociações, visualizo claramente seu objetivo em fortalecer o CBD, seus acinistas e o Varejo Brasileiro. Fica tambem evidente as dificuldades do empresário Brasileiro, que empreende contra burocracia, juros altos e ainda contra uma cultura de colonia.

  • 22 de julho de 2011 às 22:59

    Nunca podemos esquecer a trajetória do que se fez, folego e muito trabalho pra se manter a trajetória ainda melhor. Fico na torcida sempre.

  • Artur Rodrigues

    22 de julho de 2011 às 23:11

    Durante todo esse processo de negociação tive a estranha sensação de o homem que aprendi a admirar depois do seu sequestro como alguém real e verdadeiro nao existia mais. Muito bom o que escreveste aqui. Minha admiração está intacta.

  • MARCELO LIMA

    22 de julho de 2011 às 23:43

    Sempre vi com olhos positivos a fusão, concordo em muito com sua visão. E o fato de se preocupar em dividir sua opinão com o público, respalda ainda mais sua opinião. Tenho um blog (http://saggezzaebuonsenso.blogspot.com) e a opinião que havia expressado sob o assunto vai muito de encontro com sua.

  • Bruno Henrique

    23 de julho de 2011 às 00:34

    Parabéns pelo texto. Foi bastante esclarecedor, principalmente sobre a cláusula vitalícia para a presidência do conselho. Acompanhei cada notícia e realmente a reação à operação foi negativa. Desejo sorte e espero que você encontre um “Plano B” para seguir crescendo.

  • Rayneci Vidal

    23 de julho de 2011 às 01:30

    Este esclarecimento é uma das provas deste seu sucesso merecido. (alunos, isso é comunicação eficaz com os públicos). Admiro A. Diniz e torcia pela compra do Carrefour pelo GPA. Certamente o Brasil ganharia com mais uma rede sob o comando de um empresário de visão privilegiada.

  • Leonardo Gazolli

    23 de julho de 2011 às 09:20

    Caro Abílio, o mundo dos negócios não e bem compreendido pela nossa sociedade. Captar recurso no Bndes para muitos significa apropriar-se de dinheiro publico. Continue refletindo sobre os erros e mantenha seus propósitos. sucesso!

  • Alexandre Porfirio

    23 de julho de 2011 às 09:53

    Acredito que o maior problema foi a midia se posicionar de forma contraria, isto causou um grande desconforto ao BNDES.

  • Gustavo

    23 de julho de 2011 às 10:54

    Parabens Abilio pelo seu trabalho !!! Continue fazendo aquilo que vc sempre acreditou !!!

  • Gisele Montilhia Soares

    23 de julho de 2011 às 11:13

    O assunto mal resolvido com o Casino veio à mídia e ao conhecimento do grande público que condenou a participação do BNDES. A nova estrutura da informação, mais ativa e democrática, mesmo com pouco ou nenhum conhecimento técnico, acabou prejudicando a fusão. A comunição por parte do GPA falhou .

  • 23 de julho de 2011 às 14:44

    Os erros cometidos por outras pessoas não me dão o direito de cometer os meus. Frase certeira e admirável!

  • Percival Margato Junior

    24 de julho de 2011 às 11:24

    Caro Abílio, se eu estivesse no seu lugar, também teria agido da mesma forma. É fácil agora o mercado criticar. Você foi simplesmente o Abílio, empreendedor e empresário de visão. Entendo que você nesse episódio criou as condições para algo muito maior. Confie! Você já venceu.

  • paulo andre

    24 de julho de 2011 às 14:22

    O que faz um ser humano abandonar sua determinação? A estória contada desde tempos imemoriais do menino e seu pai que foram vender o burro no mercado e durante o trajeto ouviram várias opiniões e as seguiram e como resultado não conseguiram um bom preço por ele. Siga sua determinação.

  • 24 de julho de 2011 às 22:55

    MEU NOME É FÁBIO, E SOU UM PEQUENO EMPRESÁRIO NO RIO DE JANEIRO,EU ESTAVA NA TORCIDA QUE ESSA FUSÃO PÃO DE AÇUCAR X CARREFOUR FOSSE EFETIVADA, NA MINHA MODESTA VISÃO, SERIA UM BOM NEGÓCIO, PARA A POPULAÇÃO E O PAÍS EM GERAL.APROVEITANDO O ENSEJO, EU GOSTEI MUITO DO SEU LIVRO, UM ABRAÇO.

  • Adriane

    25 de julho de 2011 às 14:44

    Abílio, estou torcendo e rezando muito por vc. Foi com vc q eu conheci o programa espiritual que eu faço há seis anos, que encontrei uma santa que também se tornou minha amiga, Santa Rita de Cássia. Vc é exemplo de disciplina, organização, comprometimento, fé, amor , e capacidade de superar desafios

  • edribeiro

    25 de julho de 2011 às 22:07

    Senhor Abilio Diniz. O Senhor vendeu o controle acionário e qualquer coisa que o senhor fizer mesmo antes da expiração do prazo de transferência do mesmo, há que, de uma ou de outra forma consultar a base controladora presente e futura, sob pena de quebra de acordos. Sua experiencia falhou.

  • Renato Silva

    31 de julho de 2011 às 19:49

    Abílio estou torcendo por vc, sou um pequeno acionista do GPA e tenho convicção total do sucesso desta operação. Se tivesse hoje em minhas mãos os 5 bilhões necessários para operação, nao tenha duvida iríamos juntos fazereste negocio e ainda compraríamos a parte do casino.Um grande abraço e sucess

  • Leonardo B. Berto

    13 de agosto de 2011 às 21:01

    Sr Abilio, estou torcendo muito por vc sei que é um grande homem e não e a toa que é um dos maiores empresarios desse país e muito patriota, tendo plena certeza que ainda irá conseguir mais este avanço, sou seu colaborador e tenho muito orgulho e prazer de trabalhar nesta grande empresa.

  • Adriano Coelho

    17 de agosto de 2011 às 16:14

    Eu o admiro por suas realizações e principalmente pelo ser humano que demonstra ser. Eu gostaria muito de lhe sugerir, que escrevesse um novo livro falando sobre praticas corporativas, tenho certeza que o seu conhecimento seria essencial para ajudar a outros empreendedores a vencer.

  • Rogerio

    23 de agosto de 2011 às 20:00

    Bom dia!!Sr, Abílio sou estudante em uma escola técnica estadual de Administração e me foi dada uma pesquisa sobre o que é ser um empreendedor o motivo pelo qual quero lhe parabenizar e desejar muito sucesso pois, me espelho em seu trabalho e sua história de vida.

  • 24 de agosto de 2011 às 23:58

    Entendo que a maior base de sustentação de qualquer empreendimento empresarial são as pessoas no exercício das suas funções e responsabilidades, elas são o alicérce da empresa. Como consultor defendo a implementação do PPI – Processos, Pessoas e Informações, antes do BI – Business Intelligence.

  • Leon Mota

    16 de outubro de 2011 às 12:52

    Sr. Abílio, é impressionante conhecer a sua filosofia. Eu acredito muito que o sucesso só vem para as pessoas que tem desejo ardente de aprender como forma de preparação.Tenho 22, moro em uma cidade do interior do Sul do Pará, porém essa limitação não me fez desacreditar em mim.

  • Genivaldo Dos Santos

    10 de dezembro de 2011 às 17:27

    Sr. Abilio sou um dos seus colaboradores e tenho uma grande admiração pela sua determinação, inovação, garra, diciplina, por isso que tenho o senhor como um grande idolo, e base para meu crescimento.foi uma pena não ter dado certo a fusão, mais acredito que muitas outras oportunidades virão.

  • nilva diniz

    30 de dezembro de 2011 às 05:51

    oi bom dia nossa achei essa comunidade e adorei saber q aqui posso encontrar alguem com minhas caracteristica pois meu avo veio de portugal aos 18 anos hoje msm ja falecido quardo comigo a carteira de registro dele com muito orgulho tenho muita vontade de conhecer algum parente pois ele nos contava

  • Francisco Assis da Silva

    16 de janeiro de 2012 às 15:44

    Assisti à várias missas na igrejinha do Guarujá aos sábados à tarde e em muitas vezes lá estava o sr. Abilio e esposa. Isto foi importante para mim por ele ser um exemplo mostrando que na nossa vida Deus tem que ter o seu espaço , independente da posição social da pessoa.

  • fabricio de oliveira reboucas

    24 de janeiro de 2012 às 13:06

    Moro em Cuiaba, sou apaixonado por varejo, e a dmiro muito a administracao do Abilio com sua equipe, sou fã do extra em Cuiaba; Temos lojas de materiais para construcao, e pretendemos expandir em todo o brasil!!!! Abilio, sou seu fã, parabens pela determinacao, abraco!!!!

  • Sonia maria gazzolla

    6 de fevereiro de 2012 às 17:07

    Felizmente existe este canal para manifestar a admiração que tenho por Abílio Diniz. Minha sogra sempre me contou como começou a vida de vocês, de origem portuguêsa. Muito simples,época que palavras éram mais importantes do que assinaturas, como dito por ele mesmo. Parabéns pela carreira!

  • Rogerio Jesus

    17 de março de 2012 às 16:26

    O Sr Abilio e exemplo de honestidade competencia e disciplina que serve Para muitos empresarios e politicos Brasileiro

  • JACQUES CIRO ORNSTEIN

    13 de abril de 2012 às 09:06

    Sr Abilio é um verdadeiro exemplo de cidadania e brasilidade para todos..

  • Claudia Rocha

    30 de abril de 2012 às 22:22

    Sr.Abilio, obrigada por dividir de suas experiências através de seus depoimentos e livros ,isso me faz refletir sempre e principalmente na hora de tomar decisões importantes.Lhe desejo muita vida!!!

  • Carlos Eloy Malaco

    3 de maio de 2012 às 19:12

    Trabalhei no grupo, é uma pena não fazer parte dele neste momento, sou fã do Sr.Valentin dos Santos Diniz que ensinou com maestria seu filho. Sucesso Abilio.

  • Victor

    10 de junho de 2012 às 08:58

    Desde o primeiro encontro em uma apresentação na FAAP há uns 30 Anos, eu como aluno e voce como palestrante , estava claro que se tratava de uma pessoa diferenciada e bem preparada. Continue seu caminho de sucesso e deixe os invejosos falarem.

  • Leonardo Fares

    25 de junho de 2012 às 16:30

    Desconhecendo os meandros da operação sou do seguinte alvitre: o executivo do Casino quis jogar o “campeonato francês” e não o “campeonato mundial”. Uma escolha certamente provinciana! Como diria o Conselheiro Acácio, personagem de Eça de Queirós: “o problema é que as consequências vêm depois!”Rsrs

  • Selma Mendes

    23 de julho de 2012 às 17:10

    Eu sou apaixonada, por sua forma transparente de administrar. Ainda não a oportunidade de participar de um workshop com voce, mas tudo que leio ao seu respeito, me transmite sua humildade, determinação e integridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

footer logo

Conheça o outro lado do empresário de sucesso. Aqui ele compartilha dicas de empreendedorismo e vida em equilíbrio para você encontrar a sua felicidade.


BUSCAR NO SITE