• pt-br
  • en
  • fr

    Tags:        4 -    Comentários

Mariana Teodoro

“Se você não valorizar a si mesmo, quem vai te valorizar?”. Embora pareça clichê de novela, esse conselho expressa a pura realidade: a pessoa com autoestima elevada consegue ter mais sucesso nos seus relacionamentos pessoais e profissionais.

E gostar de si mesmo não tem nada a ver com beleza ou bens materiais. Segundo a psicóloga Luzia Winandy, a autoestima é resultado de uma avaliação que o indivíduo faz de si a partir das suas experiências, crenças, pensamentos e sentimentos. “Se neste “balanço” ele faz um julgamento positivo da própria vida, é porque ele se gosta. E esse amor-próprio é capaz de fazer com que ele atraia tudo o que deseja”.

Para a especialista, as conquistas do indivíduo que se valoriza são maiores também porque ele vive sem medo de errar e sem receio de julgamentos alheios. “A pessoa confiante acredita em suas capacidades, arrisca mais e, desse modo, vive com mais liberdade. Quem não gosta de estar ao lado de alguém assim?”.

Pessoas com amor-próprio ainda conseguem superar desequilíbrios emocionais com mais facilidade. “Aquele que se valoriza, após passar por um conflito ou perda significativa, se abala, sofre, mas retoma a vida sem se culpar ou acusar o mundo de estar contra ele”, afirma.

Já para quem tem baixa autoestima, o restabelecimento psíquico, depois de viver uma dificuldade, é árduo e demorado, o que pode levar a transtornos mais sérios, como a depressão “Nesses casos, o julgamento por si fica afetado. Numa perda amorosa, por exemplo, a pessoa fica num estado de melancolia e se culpa pelo acontecimento. E no trabalho, ele se acusa por determinado problema sem avaliar a situação como um todo”, explica.

Caso a sua autoestima não esteja muito alta, a especialista tem algumas dicas para mudar esse quadro: “É fundamental aprender a não se depreciar pelos resultados negativos e frustrantes ao longo da vida, mas considerar, principalmente, o que está indo bem. Mais importante ainda é se aceitar como é, com todas as qualidades e, principalmente, com os defeitos. Parar de ter a ilusão que o outro é sempre melhor e tem uma vida mais interessante é outra atitude essencial”.

Se você gostou do texto, leia também:

Força da intuição http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/a-forca-da-intuicao.htm

Carpe Diem http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/carpe-diem.htm

Emoções Positivas http://abiliodiniz.uol.com.br/qualidade-de-vida/emocoes-positivas.htm 

4 Comentários
  • Diogo Abdalla

    18 de novembro de 2011 às 12:11

    Excelente contribuição! Adorei a lição da Luzia Winandy. Vou compartilhar!Abraço!

  • Fatima

    18 de novembro de 2011 às 16:19

    Gostei mto e acho que as pessoas deveriam sempre ler artigos sobre esse tema, pois ajudaria sempre a melhorar o astral.

  • ricardo valle

    22 de fevereiro de 2012 às 18:14

    Excelente texto.É nos conhecendo interiormente que cresceremos como pessoas,o autoconhecimento é a base de uma vida melhor.

  • José Wilson Cardoso de Araújo

    2 de abril de 2015 às 20:14

    Texto brilhante e iluminador!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

footer logo

Conheça o outro lado do empresário de sucesso. Aqui ele compartilha dicas de empreendedorismo e vida em equilíbrio para você encontrar a sua felicidade.


BUSCAR NO SITE