• pt-br
  • en
  • fr

    Tags:             

Muitas pessoas se comportam de forma tímida, retraída e cautelosa no contato social mas é importante lembrar que ser reservado e relativamente fechado não é algo negativo, o maior problema acontece quando não se consegue:

– expressar as ideias;

– expor os pensamentos;

– manifestar desejos e vontades

A falta de interação adequada com o outro gera desgaste e sofrimento e algumas vezes se origina na infância. Nesses casos, a pessoa tem a impressão que agir dessa maneira faz parte da sua personalidade e não percebe que isso é apenas um comportamento aprendido e que pode ser revertido a qualquer momento, ou seja, é possível reaprender novas escolhas e ações. É preciso apenas direção adequada para uma mudança eficaz.

A timidez pode estar ligada a quatro fatores:

1- Baixo Autoestima: a pessoa estima, deseja e quer coisas diferentes do que ela pode realizar, deixando de dar valor a tudo que é e o que já possui. Atribui ao outro uma importância maior. Deixa-se de governar a si próprio e passa a viver a mercê de ideias fantasiosas de “um outro” que pune, é rígido e severo. Cada pessoa possui suas peculiaridades, diferenças, semelhanças e acima de tudo: é única. Não há valor maior que esse.

2- Vergonha: ideia de um “defeito” no ser; é a percepção de que há algo errado, de que alguma coisa não está certa, e todos vão “reparar”, achar graça ou se ofender com aquele comportamento. A pessoa envergonhada tem vontade de esquecer o que aconteceu, de se esconder, desaparecer e até mesmo sumir. Se houve a possibilidade de voltar atrás e corrigir aquilo que se julga errado, faria com toda a certeza essa escolha. Ideias assim estimulam ações de isolamento e dor emocional. Quando o indivíduo está sozinho ou próximo de pessoas que confia, sente-se protegido, pois não há crítica inesperada e não há ninguém que possa reclamar ou mesmo corrigir tais erros da maneira “perversa” das ideias fantasiosas. A maior falta existente não está no erro cometido, mas na incapacidade de corrigi-lo para uma situação que possa se repetir num futuro.

3- Crítica e rigidez interna: medo de errar, perfeccionismo, pensamentos de inadequação, achar-se diferente e querer acertar sempre. Pessoas tímidas, às vezes, perdem excelentes oportunidades de aprender a conviver com as pessoas, se expor, trocar ideias, experiências e perdem a possibilidade de aprender com os próprios erros. Criticar a si próprio pode ser considerado bom quando usado de forma coerente e equilibrada. É uma qualidade saber olhar para si, pois quem sabe analisar a situação com críticas coerentes pode corrigir a si próprio e isso é um sinal de maturidade em todas as idades. Porém a rigidez interna se usada em excesso, deixa de ser algo bom passando a ser um problema, um peso e não uma solução. Gosto da ideia que defeitos são qualidades em excesso, então dose seu diálogo interno e tudo estará bem.

4- Agressão: a timidez pode vir dissimulada através de comportamentos agressivos, momentos de raiva ou até mesmo de indiferença, resultando em um distanciamento das pessoas. Dessa maneira evita-se o contato, que para as pessoas tímidas, se torna uma forma de refúgio, uma vez que elas não se sentem confortáveis ao se relacionarem com os outros.

Pessoas tímidas costumam ser muito focadas e observadoras, até mesmo para poderem se proteger, saber usar essas habilidades a seu favor é fundamental na busca da excelência. Um dos maiores desafios é aprender que as mudanças são necessárias e não ameaçadoras. É útil compreender que se pode ser tudo aquilo que se quer, desde que haja um planejamento, perseverança e tempo de adaptação, pois ninguém está condenado a viver apenas com o que se está habituado a ser. É importante ressaltar que a timidez pode ser consequência de algumas doenças psicológicas, tais como: depressão, ansiedade, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), fobia social, e outras. Para um diagnóstico adequado, aconselha-se a fazer uma avaliação com um profissional qualificado, podendo ou não ser necessário o acompanhamento psicólogo. Técnicas como hipnose ericksoniana, emdr, PNL e Novo Código da PNL certamente poderão ajudar na melhora que se faz necessário nos aspectos emocionais, ajudando na autoestima, segurança e bem-estar de cada um. Sucesso naquilo que busca e até breve!

 

Adriana de Araújo Counselor and Executive Coach Consultoria via Skype www.adrianadearaujo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

footer logo

Conheça o outro lado do empresário de sucesso. Aqui ele compartilha dicas de empreendedorismo e vida em equilíbrio para você encontrar a sua felicidade.


BUSCAR NO SITE