• pt-br
  • en
  • fr

   Tags:         -  2 -   Comentários

Entender como funciona a motivação humana é um passo fundamental para aumentá-la e mantê-la – o que é crucial para que possamos sustentar o esforço, a energia e o foco indispensáveis para atingir objetivos – tanto os pessoais quanto os profissionais e organizacionais.

É desse modo que o líder evita uma armadilha muito comum na qual a equipe começa a perseguir um objetivo com muita garra e disposição até que, em algum ponto do caminho, a motivação simplesmente se esvai e o objetivo é ameaçado. Por que isso acontece? Se a motivação for entendida como “parte de um sistema motivacional estruturado”, conforme observado pelos pesquisadores Shah, Hall e Leander quando citam que teorias sobre a natureza dos objetivos confirmam o fato de que os mesmos são adotados e perseguidos não de modo isolado, mas em um contexto situacional dinâmico e como parte de um sistema motivacional estruturado, fica mais fácil encontrar as respostas.

E as respostas passam pela Teoria da Autodeterminação (Self-Determination Theory – SDT). Desenvolvida por Edward Deci e Richard Ryan, da Universidade de Rochester, a teoria é um conceito-chave para lidar com a motivação humana de um modo mais abrangente e eficaz.

A autodeterminação é o ato de escolher e decidir por si, e de iniciar ações por vontade própria. Uma pessoa que possui um alto nível de autodeterminação tende a ser, também, uma pessoa intrinsecamente motivada, ou seja, que possui motivação intrínseca. Essa palavra é definida como algo interior ou interno, e que existe por si mesmo. Sendo assim, a motivação intrínseca é explicada por Deci e Ryan como a escolha e a decisão de fazer uma atividade pela satisfação inerente que ela oferece, e não por suas possíveis consequências.

A motivação intrínseca reflete a tendência humana de engajar-se em atividades interessantes e desafiadoras em termos de aprendizado e desenvolvimento – e é de fundamental importância que o líder possa proporcionar esse tipo de atividade a seus colaboradores. Quanto às demais atividades, as que não são intrinsecamente motivadas, mas são necessárias para que objetivos sejam atingidos, é importante gerar comprometimento alinhando-as aos valores e aspirações do time. Trata-se de entender o quanto a realização dessas atividades ou ações são importantes para que você e sua equipe alcancem seus objetivos. Trata-se, também, de encontrar meios de realizá-las que aumentem o poder de escolha e o senso de ownership psicológico da equipe – isto é, a sensação de que essas atividades lhes pertencem, são deles, e que eles irão realizá-las porque isso lhes trará benefícios e ganhos importantes no que diz respeito aos objetivos e propósitos de cada membro do time, e não só aos da empresa. Trata-se, enfim, de entender que, ao contribuir para o crescimento da organização, você e seus liderados também estarão crescendo.

O treinamento positive coaching fornece as ferramentas ideais para acelerar esse processo. Por meio das intervenções que esse treinamento oferece, é possível resgatar o senso de ownership – de seus colaboradores e o seu, se for o caso. É possível, também, resgatar a missão pessoal e o propósito, a autoeficácia (ou a crença em nossa capacidade de atingirmos objetivos), a resiliência (ou o poder de superação), e reorganizar os objetivos profissionais de cada indivíduo de modo a alinhar tudo isso aos objetivos organizacionais. Assim, ao ver seus próprios objetivos refletidos nos da empresa, seus colaboradores se sentirão muito mais comprometidos para realizar atividades que podem não ser intrinsecamente motivadoras, mas que são necessárias e serão feitas da melhor forma possível porque estarão alinhadas a um propósito maior, que para eles é claro e suficientemente inspirador.

Agora que você já entendeu o que é e como funciona um sistema motivacional estruturado, gostaria de concluir com algumas perguntas para reflexão. O que você tem feito para motivar seus colaboradores? De que modo você busca alinhar os objetivos profissionais deles aos da organização?

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching e presidente da SBCoaching Training. Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania e master coach muito experiente, é especialista em Governança Corporativa, Gestão Empresarial e Comunicação e Marketing. Fundou também o Institute of Positive Coaching Research (IPCR). Atua como diretora educacional no grupo SBCoaching e é editora-chefe da Revista Científica Brasileira de Coaching.

2 Comentários
  • Lucas Nogueira

    20 de agosto de 2016 às 11:23

    Sensacional.

  • Carla Castro

    26 de agosto de 2016 às 19:28

    Eu tenho lido muito sobre a história de vida desse grande empresário Abílio Diniz. Gosto da maneira como ele abordamesmo as palavras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

footer logo

Conheça o outro lado do empresário de sucesso. Aqui ele compartilha dicas de empreendedorismo e vida em equilíbrio para você encontrar a sua felicidade.


BUSCAR NO SITE